Crianças na fazenda de vegetais

 # MAIS TERRA MENOS TELA 

A LOA TERRA

Somos um negócio de impacto socioambiental que desenvolve iniciativas para uma comunidade urbana mais saudável e sustentável.

SERVIÇOS

> consultoria, cursos, oficinas, workshops, vivências, experiências, formação de educadores e equipes 

> hortas orgânicas e agroecológicas

> espaços ecopedagógicos

> jardins sensoriais, funcionais e comestíveis

> conteúdo

> gestão sustentável de resíduos

> projetos sob medida

plantio mae e filho_Luis.jpg

OFICINAS E VIVÊNCIAS QUE INSPIRAM A TRANSFORMAÇÃO

  • Viva o ciclo vivo na cidade

  • Tem criança na horta

  • Horta na terceira idade

  • Horta em vasos e caixotes

  • Sabores e saberes da horta

  • Ervas e temperos: da horta para a cozinha

  • Compostar é fácil

  • Hortaterapia na vida urbana

 Experiências 

1C40FF2A-6D7C-4DD4-806B-50FC8771DB7D.JPG

 

FORMAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE

Realizamos a capacitação de colaboradores, educadores e comunidades por meio de encontros e atividades relacionados à sustentabilidade e ao desenvolvimento regenerativo, tais como:

  • ODSs;

  • gestão de resíduos;

  • impactos de consumo;

  • origem e ciclo do alimento

  • alimentação consciente;

  • uso de recursos naturais.

 Formação para Sustentabilidade 

photo4927415356939675617.jpg

VIVA O CICLO VIVO visa organizar o fechamento do ciclo do alimento dentro do ambiente urbano por meio de três pilares principais:

PILAR 1 | COMER

valorização do alimento, consciência alimentar, receitas, informações nutricionais, curiosidades e ganchos para o público se conectar a este tema tão relevante e presente na vida de todas as pessoas.

PILAR 2 | COMPOSTAR

para onde vão os restos do que comemos? Essa etapa organiza e resolve, de forma sustentável e natural, a questão da gestão dos resíduos orgânicos gerados no ambiente urbano, transformando tudo em adubo, por meio da compostagem.
PILAR 3 | CULTIVAR

o que fazer com o adubo gerado da compostagem? VIVER ESTE CICLO VIVO implica em utilizar o adubo gerado na compostagem para nutrir o solo onde orientamos a como plantar e cuidar de ervas, temperos, legumes etc. E na hora da colheita, feita de forma coletiva, voltamos ao primeiro pilar para recomeçar o ciclo a partir do COMER.

Já realizado em escolas, eventos e unidades do SESC, o projeto pode ser implantado em empresas, condomínios, hospitais e tantos outros, incluindo diversos públicos no processo, como colaboradores, fornecedores, comunidade local, parceiros, clientes, etc.

 Viva o Ciclo Vivo 

VIVA O CICLO VIVO visa organizar o fechamento do ciclo do alimento dentro do ambiente urbano por meio de três pilares principais:

PILAR 1 | COMER

valorização do alimento, consciência alimentar, receitas, informações nutricionais, curiosidades e ganchos para o público se conectar a este tema tão relevante e presente na vida de todas as pessoas.

PILAR 2 | COMPOSTAR

para onde vão os restos do que comemos? Essa etapa organiza e resolve, de forma sustentável e natural, a questão da gestão dos resíduos orgânicos gerados no ambiente urbano, transformando tudo em adubo, por meio da compostagem.


PILAR 3 | CULTIVAR

o que fazer com o adubo gerado da compostagem? VIVER ESTE CICLO VIVO implica em utilizar o adubo gerado na compostagem para nutrir o solo onde orientamos a como plantar e cuidar de ervas, temperos, legumes etc. E na hora da colheita, feita de forma coletiva, voltamos ao primeiro pilar para recomeçar o ciclo a partir do COMER.

Já realizado em escolas, eventos e unidades do SESC, o projeto pode ser implantado em empresas, condomínios, hospitais e tantos outros, incluindo diversos públicos no processo, como colaboradores, fornecedores, comunidade local, parceiros, clientes, etc.

Miguilim_set18_espiral2.JPG

JARDINS COMESTÍVEIS E FUNCIONAIS: OCUPAÇÃO DE ESPAÇOS OCIOSOS / LAJES PRODUTIVAS

A agricultura urbana promove o contato com a terra, com a origem dos alimentos e com os ciclos naturais que geram uma série de benefícios, inclusive terapêuticos, de conexão com este universo geralmente 'distante' da rotina urbana.

O cultivo de alimentos na cidade cria novos pontos de integração e aprendizado, ocupação inteligente e sustentável de espaços, além de gerar alimentos frescos e sem agrotóxicos.

Grandes cidades como Nova Iorque, Berlim e Tóquio exibem algo em comum além dos arranha-céus, do trânsito e da população numerosa: lajes ocupadas por fazendas urbanas que produzem alimentos frescos e sem agrotóxicos logo ali, do lado de quem logo irá consumi-los. As lajes são perfeitas para este uso: recebem bastante sol, muitas vezes são espaços ociosos ou subutilizados, estão mais altas que a rua onde circulam os automóveis o que mantém a poluição 'pesada' mais afastada, além de poder ser um espaço a mais de lazer, integração e contemplação da cidade.

 Transformação de Espaços 

Repolho

GALERIA

 
161715-OV2Z2G-19.jpg

Conheça nosso projeto horta-escola,

parceria com o Natural da Terra:

horta_escola.png

DICAS

Como funciona uma composteira doméstica com minhocas

Planta da manjericão

ERVAS E TEMPEROS

Plantas Aromáticas Sazonais
Crescem rápido e querem logo dar flor! Por isso deve atrasar a chegada dos botões de flores pois assim que a floração começa as folhas perdem sabor e a planta já não produz mais folhas.

O manjericão (ou basílico) é o mais apressado de todos. A melhor saída é  apanhar as folhas. Corte-os quase junto ao solo, um pouco acima das folhas da base. Poderá congelá-las ou secá-las.  Assim encoraja a planta a formar nova vegetação e voltará a ter uma nova colheita.

Plantas Aromáticas Vivazes
Tomilho, orégano, hortelã-pimenta, sálvia, cebolinha…

As que têm folhas largas precisam de água: regue-as bem durante o verão pois se faltar água elas podem murchar e só aparecerão no outono.

Pode-as quando ficarem muito grandes ou quando o centro da planta começar a ficar seco. Bastará cortá-las a 5 cm do chão para que novas folhas se formem.

Caso adoeçam faça o mesmo: as folhas crescerão sem doença. As ervas aromáticas em vasos são mais sensíveis à doença que as que estão plantadas no chão e não deixe de podar caso haja algum problema.

ADUBOS ORGÂNICOS CASEIROS

ovo

Casca de ovo

- Fornece cálcio, potássio e magnésio.

- Quando está exposta na horta, inteira, afasta as borboletas.

- Secas e trituradas são um excelente adubo  natural

(1 colher por vaso sobre a terra)

Borra de café

- Pode ser usada na compostagem e/ou direto no solo.

- Fornece mais Nitrogênio à terra.

- Evita ataque de lesmas.

- Evita os fungos.

- Melhora a estrutura do solo.

Cinza de madeira

(da pizzaria, da lareira, da fogueira) 

- Fornece potássio ao solo.

- Aumenta o aroma e o sabor das plantas.

- Afasta as pragas. 

Uso: diluir as cinzas na água e usar na rega. 

Morangos frescos

MORANGOS NA HORTA

O morango pode ser cultivado em vasos ou no chão.

Resiste muito bem ao frio e ao calor.

A melhor época para cultivar morangos é no final do inverno e durante a primavera.

Necessita de  um bom sistema de drenagem, para evitar que a água encharque e apodreça os morangos, já que esta é uma planta bastante sensível neste aspecto.

Precisam de terra adubada para aumentar sua produção.

Prefira alimentos da estação:

Acompanhe a sazonalidade

Aproveite melhor as partes dos alimentos:

Receitas e dicas